Prefeitura de Matão (SP) sanciona lei que proíbe uso de animais para condução de carga no município

A Prefeitura de Matão (SP) sancionou o projeto de lei que proíbe o uso de animais para condução de carga no município.

De acordo com o prefeito Edinardo Esquetini, a cidade tem até janeiro de 2021 para se adaptar à nova legislação.

Dentro deste período de 180 dias, a Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social e entidades irão atuar para que os carroceiros tenham condições de seguir com seus trabalhos.

“Fica proibido o uso das carrocinhas, mas lógico que tem um período de seis meses para fazer essa adaptação, para que as pessoas possam se quiser fazer um curso de qualificação, um empréstimo junto ao banco do povo, um direcionamento de trabalho que não seja feito com tração animal”, explicou.

Segundo a protetora Juliana Sgardioli, as ONGs e os defensores dos animais ajudarão a fiscalizar o cumprimento da lei.

“É muito importante que foi sancionada a lei, pois a partir de hoje nós que lutamos a todo momento contra os maus-tratos vamos ajudar fiscalizar, mas é importante que os carroceiros se conscientizem, pois os animais sentem as dores e nós somos a voz desses animais”, disse Juliana, que integra a ONG Amor Sem Raça.

Maus-tratos
Prefeitura de Matão sanciona lei que proíbe uso de animais para condução de carga no município — Foto: Prefeitura de Curitiba/Divulgação
Prefeitura de Matão sanciona lei que proíbe uso de animais para condução de carga no município — Foto: Prefeitura de Curitiba/Divulgação

No mês passado, um homem chegou a ser detido por maus-tratos a um cavalo em Matão (SP) e chamou a atenção das autoridades para os crimes contra os animais usados para puxar carga.

Segundo denúncias, no momento do acidente, o animal não estava puxando carroça, mas estava muito fraco em cima de uma carretinha sendo transportado e caiu no chão.

O tutor foi ouvido e foi realizado um boletim de ocorrência. De acordo com o comandante, a fiscalização do meio ambiente aplicou multa e o homem responderá em liberdade por crime de maus-tratos.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *