Valentina

Eu quero viver!

Gritou Valentina enquanto pulava as cercas do sitio do vizinho,  fugindo do caminhão que a levaria para o matadouro..

Passou como um furacão pela cocheira enfermaria do santuário onde o Cavalo Pacífico se despedia desse tempo e espaço no colo da Mãe Coelha.

Pisou no Quintal de Shanti e contemplou a Vida na sua expressão mais verdadeira.

E percebeu-se como Filha de Shanti.

Não foi mais embora.

Arredia, assustada, desconfiada.

Seus olhos exigiam de nós uma atitude que se harmonizasse com o sentido de nossa vida… salvar.

E comunicamos “seu dono” que ela havia lutado por sua vida e que desejava ficar conosco. E nós com ela!

Um valor foi dado.

E uma arrecadação foi lançada.

E conseguimos a passagem que lhe restituiu dignidade.

Salva! Verdadeiramente salva.

De papel passado!

E Valentina nos encanta com seu jeito louco de ser…

Uma ventania!

Uma vaca empoderada.

Que sua história possa auxiliar no despertar da humanidade…

ÁLBUM DA VALENTINA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *