Homem é condenado a pagar despesas de ONG em caso de maus-tratos a equinos nos EUA

Em 16 de dezembro, Joseph Rafael, 67, de Cloverdale, foi condenado a pagar US$ 76,816.79 como restituição pelo trabalho que a organização sem fins lucrativos Coins to Help Abandoned and Neglected Equines (CHANGE) fez após a apreensão de 12 cavalos da casa de Rafael. A CHANGE é uma organização local sem fins lucrativos dedicada a prevenir maus-tratos a equinos.

Em março de 2018, uma investigação policial descobriu um cavalo falecido na propriedade de Rafael, e uma busca mais aprofundada encontrou 12 cavalos (dois garanhões e 10 éguas) sem comida ou água adequadas. Os cavalos foram apreendidos de uma propriedade de Cloverdale em 22 de março de 2018.

Depois de os cavalos serem apreendidos pelos Serviços de Animais do Condado de Sonoma, foram transferidos para a CHANGE, que tratou, reabilitou e providenciou novos lares para todos os cavalos. De acordo com um comunicado de imprensa da Procuradoria do Condado de Sonoma, os animais permaneceram sob os cuidados da CHANGE por um período de tempo de três meses a dois anos. O valor da restituição reflete as despesas da CHANGE com a reabilitação e o alojamento dos cavalos.

Na época da apreensão, Heather Bailey, a então presidente do conselho da CHANGE, disse que aquela havia sido a maior na história da organização. A apreensão dos 12 cavalos é notável, disse ela, devido ao alto número de cavalos envolvidos e porque o dono dos cavalos foi preso por 12 acusações de maus-tratos a animais.

Rafael não contestou as três acusações de negligência/maus-tratos de animais em 7 de junho de 2018, e foi condenado a cinco anos de condicional e 240 horas de serviço comunitário. Ele também foi proibido de possuir animais por cinco anos. No momento do pleito, o tribunal ordenou que o valor específico da restituição fosse determinado em uma data posterior.

“Houve uma época neste condado (e ainda em muitos lugares neste país) em que você nunca teria visto uma condenação por maus-tratos a animais”, disse Bailey em uma entrevista em 2018 ao Reveille. “Sempre que recebemos uma condenação criminal em um caso de crueldade contra animais, ficamos super entusiasmados.” Não é tão comum como deveria ser, e conseguir três condenações criminais é uma grande vitória.

“Gostamos de dizer que uma condenação criminal é um presente que não tem fim, ela segue uma pessoa por toda a sua vida, e as penalidades que vêm com uma condenação criminal são do tipo que fazem outras pessoas pensarem duas vezes antes de violarem a lei maltratando um animal.”

A audiência do Tribunal Superior do Condado de Sonoma foi realizada pelo honorável Peter Ottenweller, em 16 de dezembro. Os Procuradores Adjuntos Marianna Green e Jessalee Mills processaram o caso. O Gabinete do Xerife do Condado de Sonoma e os Serviços de Animais do Condado de Sonoma lideraram a investigação.

Por Zoë Strickland / Tradução de Alda Lima

Fonte: Sonoma West

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *